Antigos Grão-Mestres

Grande Conselho de

Mestres Reais e Escolhidos de Portugal


É sempre difícil saber por onde começar a escrever um texto de homenagem, devida, aos Ilustríssimos Antigos Grão Mestres do Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal. Quais os pontos fortes que devemos destacar? Quais as características que devemos colocar em destaque deste ou daquele Ilustríssimo Antigo Grão Mestre? Devemos destacar, pelo trabalho realizado, de uma forma particular, este ou aquele Ilustríssimo Antigo Grão Mestre?
Não podíamos escrever um texto sobre os Ilustríssimos Antigos Grão Mestres do Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal sem deixar aqui uma palavra, particular, de agradecimento ao Ilustríssimo Companheiro J. Joaquim Vieira P. C., pelo esforço, empenho e dedicação que colocou na tarefa da introdução, em Portugal, dos graus Capitulares do Rito de York e, neste caso, particularmente, dos graus Crípticos, de cujo Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal - constituído por Carta Patente assinada pelo Most Puissant General Grand Master, M.P. Companion Orwille E. Wesseler, a 1 de Setembro de 1998 - foi o seu primeiro Ilustríssimo Grão Mestre.
No entanto, acreditamos que todos os Ilustríssimos Antigos Grãos Mestres do Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal deixaram um legado importante durante o período do seu mandato. Este Grande Conselho a todos deve uma palavra de agradecimento, pela visão, dedicação e esforço no desenvolvimento da Maçonaria Críptica em Portugal.
O compromisso de todos os Ilustríssimos Antigos Grão Mestres para com a Maçonaria Críptica em Portugal e para com este Grande Conselho, em particular, permitiu, passados quase vinte anos da sua criação, a construção de um edifício maçónico capaz de responder aos desafios que este novo século coloca a todos os Companheiros da Maçonaria Críptica.
Hoje, na sociedade contemporânea, marcada por uma revolução tecnológica, a Maçonaria enfrenta novos desafios, a democratização do acesso ao conhecimento, as milhares de entradas a que podemos ter acesso sobre qualquer assunto através de uma simples pesquisa, num qualquer motor de busca, na world wide web, leva à necessidade de adaptação da Maçonaria do século XXI às transformações ocorridas e à assumir não só a sua dimensão física mas também a sua dimensão digital.
Uma Maçonaria que não se adapta é uma estrutura incapaz de acompanhar os desafios que o século XXI coloca à sociedade actual e de contribuir para o desenvolvimento das capacidades de cada um dos Companheiros. Partilhar ideias, transformar a identidade da Maçonaria através de cada acção, por mais pequena que seja, tirar a Maçonaria da prateleira, colocar os valores maçónicos em acção, defendendo a honra da pertença à Ordem e a alegria do “modo de vida” maçónico, são passos essenciais para o continuar da construção e preservação da Maçonaria Críptica em Portugal. 
A todos os Ilustríssimos Antigos Grão Mestres do Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal expressamos a nossa gratidão e o desejo de que sejamos sempre capazes de continuar a honrar a memória de todos e, pelos séculos dos séculos, a preservar e a manter os usos, costumes, tradições e rituais da Maçonaria Críptica.
Por último, não podíamos terminar sem uma palavra relativa ao Ilustríssimo Companheiro J.D. Pinheiro, Antigo Grão Mestre do Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal, que partiu já para além do Nono Arco. Da sua capacidade e determinação muito havia ainda a esperar. A morte, não é um assunto para ser tratado com ligeireza, ninguém pode escapar ao seu inexorável destino. Esquecemos, por vezes, que caminhamos sobre as cinzas das gerações que partiram antes de nós e para as quais, no devido tempo, devemos contribuir.
 
Este é talvez o maior estímulo que podemos encontrar para uma boa utilização do nosso tempo e das nossas faculdades para que, de facto, possamos construir com afinco enquanto durem as nossas forças e trabalhar para completar aqui o nosso trabalho antes que chegue o Sabbath eterno.
 
Que o Supremo Grão Mestre graciosamente presida sobre todos os nossos Conselhos e conduza sempre as nossas acções de acordo com a sua vontade, aprovação e bênção.

1997-2001

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Joaquim J. V. Pinto Coelho

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.

2001-2005

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro José Francisco Moreno

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.
O Ilustríssimo Companheiro José Moreno desempenhou entre os anos de 2010-2014 as funções de Muito Respeitável Grão Mestre da Grande Loja Legal de Portugal / Grande Loja Regular de Portugal.


2005-2007

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro João A. N. G. Damião Pinheiro

(n. 03.01.1959 - m. 06.04.2012)
Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.

2007-2009

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Júlio Meirinhos Santana

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.
O Ilustríssimo Companheiro Júlio Meirinhos desempenha desde 2014 as funções de Muito Respeitável Grão Mestre da Grande Loja Legal de Portugal / Grande Loja Regular de Portugal.


2009-2011

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Joaquim Manuel Cabido Baptista Mota

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.

2011-2013

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Vítor Duarte

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.

2013-2015

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Amadeu F. Paiva

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.

2015-2017

Antigo Grão-Mestre


Ilustríssimo Companheiro Aníbal N. Bento

Grande Conselho de Mestres Reais e Escolhidos de Portugal.