Maçonaria Críptica
Novembro 17, 2016
Simbolismo dos graus crípticos : o grau de Mestre Escolhido
Dezembro 18, 2016

Simbolismo dos graus crípticos : o grau de Mestre Real

o simbolismo dos graus crípticos: o grau de Mestre Real

Nos graus simbólicos, os Companheiros são confrontados com o relato da perda da Palavra, procuram mas não a encontram. No Capítulo, procuram, encontram, mas não entendem o significado do que encontraram. A explicação de como, efectivamente, a palavra foi preservada, e o que significa, é o tema dos graus crípticos. No Grau de Mestre Real os Companheiros aprendem que, sejam quais forem as incertezas da vida que para o Maçon fiel aos princípios da Arte, a recompensa é garantida. No grau de Mestre Escolhido aprendem que a Palavra deve ser preservada na abóbada secreta da sua alma.
Este grau é realizado na Câmara do Conselho, representando o Santo dos Santos do Templo do rei Salomão.
Na primeira secção do grau, Hiram Abiff está activo na construção do Templo. Na segunda secção, Hiram Abiff encontra-se ausente, a construção do Templo está perto do términus, a Arca da Aliança está presente e Adoniram é investido com a responsabilidade de Mestre Arquitecto.
No simbolismo deste grau, a recompensa foi prometida e o tempo de a receber chegou. Quer dizer, o Companheiro, que trabalhou para completar o seu templo espiritual, vai ao encontro do Divino Mestre para receber a sua recompensa de modo a que o seu trabalho seja, finalmente, consumado pela aquisição da Verdade. Mas o templo que ele estava a construir é o templo da vida. E para que este segundo templo possa, de facto, ser construído, é preciso que o primeiro seja destruído pela morte, sob a qual assentam os alicerces do segundo. No primeiro templo, a Verdade não pode ser encontrada, e temos que nos contentar apenas com uma verdade substituta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *